COMISSÃO DA GREVE DOS PROFESSORES TEM 1ª REUNIÃO COM GOVERNO.

5 out

Deputados da Assembleia Legislativa de Minas Gerais, secretários de Estado e dirigentes do Sind-Ute participaram, na tarde de segunda-feira (3/10/11), da primeira reunião da comissão criada após a suspensão da greve dos professores estaduais. Realizada na Cidade Administrativa do Governo de Minas, a reunião foi fechada e recebeu avaliação positiva dos participantes que, ao final, concederam entrevista à imprensa presente no local.
Para a secretária de Estado de Educação, Ana Lúcia Gazolla, “a reunião, embora não tenha sido de soluções, foi respeitosa e cordial“. Ela disse que já foi combinado um pré-cronograma de reuniões, a serem  realizadas toda semana, com temas definidos. A expectativa dela é de serão  necessárias, no mínimo, três para se chegar a um bom termo quanto as  reivindicações da categoria.
Uma das propostas trazidas pelo sindicato, segundo Ana Gazolla, foi quanto à reversão das punições impostas aos grevistas pelo governo. Ela destacou, entre as
punições que o Sindicato quer reverter, a exoneração de diretores e
vice-diretores que aderiram à greve e ainda o pagamento imediato dos dias
parados. A secretária disse que já nesta quinta-feira (6), o Governo do Estado
se pronunciará por escrito sobre esses assuntos. E adiantou que, com base nessa
resposta, o Comando de Greve do sindicato se reunirá no sábado (8) para avaliar
a proposta. Nova reunião da comissão reunindo deputados, secretários e  professores foi marcada para a próxima segunda-feira (10), de 15 às 17 horas.
O deputado Antônio Júlio, que coordena a comissão, afirmou ter saído otimista do
encontro, pois “tudo que foi combinado ao final da greve está sendo honrado”.
Ele acredita que, em até no máximo, uns dez dias, haverá uma solução para as
questões disciplinares, reivindicada pelo Sind-Ute. “Antes de passar para a
discussão do piso nacional, queremos que o problema disciplinar esteja sanado”,
defendeu.
Representando a base do Governo na ALMG, o deputado Cássio Soares (PRTB) também considerou bastante proveitosa a reunião. “Houve  flexibilidade por parte de todos os lados presentes”, afirmou ele, para quem os  participantes estão trabalhando no sentido da convergência.
Já a  coordenadora-geral do sindicato, Beatriz Cerqueira, espera que as pendências
quanto a punições de grevistas sejam resolvidas de imediato para que se passe
para a negociação do assunto mais importante a ser tratado na comissão – a
adoção do piso nacional da categoria. Para ela, se a greve não foi considerada
ilegal, o governo não pode punir os que aderiram. Sobre o piso, na opinião dela,
os números mostram que o Governo do Estado tem condições de pagá-lo,
incorporando-o à carreira de todos os profissionais da educação. “Há uma
complementação de recursos por parte do Governo Federal, e também os recursos do  Fundeb”, reafirmou. Também  estiveram presentes à reunião os secretários de Estado de Governo, Danilo de  Castro, e de Planejamento e Gestão, Renata Vilhena. Pela ALMG, participaram  ainda os deputados Rogério Correia (PT), João Leite (PSDB), Pompílio Canavez  (PT), Ivair Nogueira (PMDB), Sebastião Costa (PPS) e Duarte Bechir (PMN). Também  estiveram presentes as diretoras do Sind-Ute, Feliciana Alves, Lecioni Pereira e  Marilda Araújo.
Postado por LAURO JULIO DALCIN
às 22:16

Veja o vídeo e Ouça o áudio da entrevista coletiva  completa:

“Mentiras do Ditador”

O governador Antonio Anastasia confirmou nesta quarta-feira (28) as medidas que
haviam sido anunciadas nessa terça, quando a greve dos professores da rede
estadual do ensino chegou ao fim, após 112 de paralisação. Segundo Anastasia, o piso salarial nacional no plano de carreira da categoria será aplicado entre 2012 e 2015. Os profissionais serão enquadrados, gradativamente, em faixas salariais, levando-se em  consideração o tempo de carreira e a escolaridade.

O governador ainda afirmou que novas reuniões  com o Sindicato Único dos Professores em Educação (Sind-UTE) e representantes da  Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), que mediaram as negociações,  serão marcadas para acompanhar o processo da volta às aulas. Sobre o projeto de lei 2.355/11, que institui a nova remuneração da categoria, Anastasia afirmou que modificações podem ser  feitas. O projeto tramita em caráter emergencial e estava pronto para ser votado  no plenário.
Reposição – Os professores que  estavam parados só irão receber o salário relativo a esses dias após a reposição das aulas, que deve ocorrer apenas no primeiro trimestre de 2012. Já os dias em  que os professores substitutos trabalharam não serão pagos aos grevistas. Conforme Anastasia, a exoneração dos 245  professores designados que permaneciam em greve foi suspensa.
O fim da greve foi anunciado no fim da noite  dessa terça, no pátio da Assembleia Legislativa, com a presença de 5 mil professores. A categoria prometeu se reunir novamente em 8 de outubro, para analisar se as propostas do governo do Estado estão sendo cumpridas.Fonte: O Tempo

Anúncios

Escreva sua opinião

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: