Tipo de pensamento influencia crença religiosa

27 abr

Estudo mostrou que pessoas induzidas a pensar de forma analítica tendem a relatar que acreditam menos em Deus

Alessandro Greco, especial para o iG

 

Foto: Getty ImagesPeregrinos rezam em Jerusalém durante a Sexta-feira Santa: cientistas tentam descobrir as raízes da crença religiosa
 

O tipo de pensamento influencia o quanto as pessoas tendem a ter crenças religiosas. Este é a conclusão de um estudo publicado nesta quinta-feira no periódico científico Science.
No trabalho, Will Gervais e Ara Norenzayan, da Universidade da Columbia Britânica,  no Canadá, descobriram que ao pensar de forma analítica em vez de intuitiva, as pessoas tendem relatar que acreditam menos em Deus.
Nos últimos anos diversas pesquisas buscaram entender os motivos da falta de crença religiosa. Gervais e Norenzayan criaram uma série de experimentos  para tentar entender também o outro lado da moeda. “Há muito tempo cientistas se interessam por religião, por entender por que a nossa espécie tem crenças religiosas e nenhuma outra parece possui-la. Como psicólogo, tentamos entender os aspectos que levam as pessoas a ter fé. Neste processo também temos de levar em conta que há provavelmente mais de meio bilhão de pessoas no mundo que não tem nenhum tipo de crença religiosa. Ou seja: o que tentamos entender é porque certas pessoas têm crenças religiosas e outras não”, afirmou Gervais em podcast disponibilizado pela Science.
Em uma série de experimentos eles demonstraram que ao induzir, mesmo que de forma sutil, o pensamento analítico, as pessoas tender a diminuir suas crenças religiosas ao serem testadas sobre o tema logo após o experimento. Em um deles, os pesquisadores  mostraram, por exemplo, a figura da escultura “O Pensador”, de Auguste Rodin, na qual uma pessoa aparece em posição de reflexão; noutro, um jogo de palavras cruzadas com termos como “pensar”, “ponderar”, “racional”.
O resultado foi que as pessoas que foram induzidas a pensar de forma analítica a partir dessas “dicas” relataram uma diminuição na crença religiosa comparado ao que não a receberam.
A influência do pensamento analítico não é única responsável pela crença religiosa, segundo os pesquisadores. “Quero enfatizar que embora afirmemos que o pensamento analítico seja uma fonte de descrença religiosa, não estamos dizendo que seja a única. Há também outros fatores culturais  que dentro de um certo contexto podem ser fonte de descrença religiosa e também outros fatores cognitivos” , afirmou Gervais.
Essa falta de crença religiosa pode emergir também “de déficits específicos no processo intuitivo que levam à representação dos conceitos religiosos…, de contextos culturais seculares nos quais falta o conceito de que uma pessoa deva adotar uma crença religiosa específica,  e de sociedades que efetivamente garantam a segurança existencial de seus cidadãos”, escrevem os autores no artigo.
Nos últimos anos, diversas pesquisas tem estudado também a influência das crenças religiosas sobre a vida diária das pessoas. Um deles, liderado por Michael Inzlitch, da Universidade de Toronto, no Canadá, mostrou que acreditar em Deus ajuda a bloquear a ansiedade e diminui o estresse.

Anúncios

Escreva sua opinião

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: